Glossário


Autor: Cleovam Pôrto

A

Abertura – Largura da principal lente ou do espelho, ou a abertura no topo do tubo de um telescópio.

Aberração cromática – Propriedade óptica segundo a qual diferentes cores de luz que passam através de uma lente são focadas em diferentes distâncias dela.

pion.sbfisica.org.br

Aberração esférica – Propriedade óptica na qual diferentes porções de uma lente esférica ou espelho côncavo esférico têm distãncias focais levemente diferentes produzindo assim uma imagem  desfocada.

A borda azul é um efeito de aberração cromática esférica da lente objetiva. Arnaldo.networkcore.eti.br

Aberração Esférica /A borda azul mostra é um efeito da aberração

Aceleração do Universo – Universo que se expande numa taxa acelerada.

Acoplamento spin-órbita 3 por 2 – Rotação de Mercúrio, que faz três rotações completas em torno de seu eixo para cada duas órbitas completas em torno do Sol.

Acreção (1) A colisão e aderência mútua de pequenas porções sólidas para formar corpos maiores. (2) O processo pelo qual um corpo aumenta sua massa pela acumulação de matéria dos arredores.

Acreção de plasma quente orbitando um buraco negro.

Fonte: NASA. Acreção de plasma quente.

Afélio – Ponto na órbita de um objeto em que ele está mais distante do Sol.

Aglomerado aberto – Grupo de dúzias ou centenas de estrelas, de forma irregular, geralmente encontrado nos braços espirais de uma galáxia. As estrelas nos aglomerados abertos  são relativamente  jovens.

aglomerado  aberto

Aglomerado de galáxias – Agregação de galáxias pela gravidade. Aglomerados  com poucas dezenas de membros são chamados grupos. Aglomerados maiores são divididos em regulares e irregulares, dependendo do grau de estrutura.

Aglomerado Estelar – Ajuntamento estelar aproximadamente esférico, contendo entre 10.000 e mais de 1 milhão de estrelas, composto por estrelas mais velhas, localizado predominantemente no halos de galáxias.

A cor é representativa: azul e turquesa representam a luz infravermelha em comprimentos de onda de 3,4 e 4,6 mícrons, que é essencialmente a luz das .... Foto: ESO/Divulgação

Fonte: ESO/NASA

Aglomerado globular –  Aglomerado denso, em forma de bola, contendo dezenas ou centenas de milhares de estrelas. Algumas das mais antigas estrelas conhecidas estão contidas em aglomerados globulares.

aglomerado globular

Aglomerado irregular – ver aglomerado de galáxias.com poucos membros.

Aglomerado pobre (de galáxias) – Aglomerado de galáxias.

Aglomerado regular – ver aglomerado de galáxias.

Aglomerado rico – ver aglomerado de galáxias.

Albedo – Quantidade de luz refletida pela superfície de um planeta, satélite, asteróide ou outro corpo. Um objeto  de albedo alto tem cor clara, um de albedo baixo é escuro.

Altura – Distância angular de um objeto acima do horizonte, em graus.

Anã branca – Estrela pequena e densa com massa similar à do Sol mas diâmetro apenas comparável ao da Terra. As anãs brancas são os restos contraídos de estrelas como o Sol que se extinguiram.

Sirius B foi a primeira anã branca descoberta (NASA)

Anã marron – Objeto gasoso do tamanho intermediário, entre um planeta e uma estrela, sem massa suficiente para desncadear reações de fusão  de hidrogênio em seu núcleo.

Astronomia e Universo: Anã Marron errante, descoberta a 9 anos-luz da Terra

Anã Marron a 9 anos-luz da Terra – Astronomy

Anã negra – ver estrela anã negra.

Anã  vermelha – Estrela menor, mais fria  e menos luminosa que o Sol.

Azul conhecida como HR2190 que é na verdade uma estrela anã vermelha.

Crédito: NASA

Análise espectral – Identificação dos elementos químicos pela aparência de seu espectro.

A análise do espectro de uma estrela permite determinar sua temperatura, afastamento, aproximação etc. "Impressão digital" dos componentes químicos da estrela.

Crédito: NASA

Anel – Distribuição plana de grãos e porções de material que orbitam um planeta, em geral no seu plano equatorial. Um sistema de anéis consiste de um conjunto de anéis concêntricos circundando um planeta.

Anel A – Anel mais externo de Saturno visível da Terra: encontra-se logo após a divisão de Cassini.

Ano-luz – A distãncia coberta por um raio de luz num ano do calendário, 9,46 trilhões de km.

Antimatéria – Matéria composta de anti-partículas.

Anti-partícula – Partícula elementar com a mesma massa que uma partícula de matéria convencional, mas com valor exatamente oposto de outras quantidades como a carga elétrica  e spin.

Apogeu – Ponto mais distante de um corpo em órbita da Terra. Ver também perigeu.

Apogeu e Perigeu aparente da Lua

Aracnóide – Estrutura encontrada em Vênus formada por fraturas ou escarpas concêntricas em conjunto com uma rede complexa de fraturas ou escarpas que irradiam para fora.

São grandes estruturas de origem desconhecida.

Aracnóides. Cortesia: NASA / JPL

Ascensão reta – Coordenada na esfera celeste que é o  equivalente da longitude na Terra. É medida em horas (1h = 15 graus) e tem início no ponto em que o Sol cruza o equador celeste a cada mês de março, marcando o equinócio de primavera no hemisfério norte.

Asterismo – Padrão formado por estrelas que são parte de uma  ou mais oscilações, como as Três Marias, que fazem parte de Órion.

Asteróide – Corpo sólido menor que um planeta; também conhecido como planeta menor. A maior parte dos asteróides  gira na órbita do Sol no cinturão de Asteróides entre Marte e Júpiter.

Um asteróide fotografado por satélites da NASA foi flagrado...

Asteróide raspando nosso planeta. Fonte: NASA

Asteróide troiano – Um dos vários asteróides que se encontram nos estáveis de Lagrange e que compartilham a órbita de Júpiter em torno do Sol.

A sonda Neowise descobriu o primeiro asteróide Troiano, que compartilha com o planeta Terra. Divulgado pela NASA.

Credito: Paul Wiegert/NASA/AP – O Asteróide 2010 TK7

Asteróides do cinturão – Asteróides cuja órbita se encontra no cinturão de asteróides.

Astrobiologia – O estudo da vida no universo.

Astrofísica – Parte da astronomia que lida com a física dos objetos astronômicos e fenômenos relacionados.

Astronomia – Ramo da Ciência que lida com objetos e fenômenos que se encontram além da atmosfera terrestre.

Átomo – Constituinte fundamental da matéria, unidade mínima de um elemento químico que ainda possui as características do elemento. Consiste de um núcleo composto de prótons e nêutrons, circundado por uma nuvem de elétrons.

átomo de hidrogênio

Átomo de Bohr – Modelo de átomo descrito   por Niels Bohr, no qual os elétrons giram em torno do núcleo em várias órbitas circulares.

AU – ver unidade astronômica.

Aurora – Fulgor na atmosfera superior da Terra causado por interações com partículas provenientes do Sol.

aurora boreal

Aurora austral (luzes do sul) – Luz irradiada por  átomos e íons na atmosfera superior da Terra  devido a partículas de altas energias provenientes do Sol; vista mais comumente nas regiões polares do sul.

Aurora boreal (luzes do norte) – Luz irradiada pelos átomos e íons na atmosfera superior da Terra devido a partículas de alta energia provenientes do Sol e vistas principalmente nas regiões polares do norte.

Avermelhamento interestelar – Avermelhamento da luz das estrelas que passa através do meio interestelar, sendo resultado do maior espalhamento da luz de comprimentos de onda curtos do que da luz de comportamentos de ondas longo.

Cortesia: NASA (Nebulosa do Haltere)

Azimute – Ângulo  de um objeto sobre o horizonte medido em graus a partir do norte via leste e novamente de volta ao norte.

É importante na Astronomia informar as coordenadas de posição. O astro cuja vertical está exatamente a leste, está no azimute 90 graus.

Azimute 90 graus. Fonte: Física – pucrs

B

Bárion – Partícula composta por três quarks sob a ação da força nuclear forte. Exemplos de bárions são os prótons e nêutrons, constituintes fundamentais dos núcleos atômicos.

particulas

Basalto do mare – Lava escura solidificada que cobre os maria lunares.

A areia escura de basalto, que foi carregada pelo vento forma o relevo.

Areia escura de basalto. Fonte: NASA

Big Bang – O evento explosivo que marcou a origem do Universo cerca de 13,7 bilhões de anos atrás.

A nova imagem do universo infantil

big bang (NASA)

Big Crunch – Estado final do Universo, caso a expansão seja detida e revertida numa contração, acabando por colapsar sobre si mesmo.

Big Rip – Estado final do Universo em que todas as estruturas seriam dilaceradas – aglomerados de galáxias, galáxias, estrelas, planetas, átomos e partículas elementares – caso o efeito repulsivo de energia escura se torne infinitamente forte numa escala de tempo finita.

Binária eclipsante – Par de estrelas em órbita uma em torno da outra, em que uma periodicamente em frente à outra tal como vista da Terra, interceptando sua luz.

É uma estrela binária eclipsante que durante muito tempo....

Estrela Epsilon Aurigae. Fonte: Nature e Science Daily

Binária espectroscópica – Par de estrelas tão próximas entre si que não podem ser vistas separadamente por nenhum telescópio. A natureza binária de uma estrela só é revelada quando sua luz é examinada através de um espectroscópio.

Blazar – Tipo mais variável de galáxia ativa, que inclui os objetos BL Lacertae e os quasares mais violentamente variáveis.

Blueshift – Deslocamento de linhas espectrais para comprimentos de onda mais curtos que ocorre quando a fonte de luz se aproxima do observador. Ver também efeito Doppler.

Bojo – ver galáxia espiral.

Bojo nuclear – Distribuição de estrelas na forma de uma esfera achatada que rodeia o núcleo de uma galáxia espiral como a Via Láctea.

Bola de fogo primordial – Gás extremamente quente que preencheu o universo logo após a Grande Explosão.

Braço Espiral – Estrutura em forma de braço estendendo-se para fora do bojo central de uma galáxia espiral ou da barra de uma galáxia espiral barrada.

Os impressionantes braços espirais da galáxia próxima Messier 81.

Galáxia Espiral M81 – Fonte: NASA/JPL/Caltech/S. Wilner/Harward – Smithsonian

Braço espiral seguidor – Braço espiral que aponta para longe da direção de rotação, característica de todas as galáxias  espirais.

Buraco coronal – Região escura da coroa mais interna do Sol quando vista nos comprimentos de onda dos raios X.

Buraco de Minhoca – Passagem hipotética conectando um buraco negro a outro lugar do universo.

Buraco negro – Volume de espaço em que a gravidade é tão grande que nada lhe pode escapar, nem mesmo a luz. Pensa-se que os buracos negros se formam quando estrelas grandes morrem.

Buraco na água – Parte do espectro eletromagnético em alguns milhares de megahertz onde existe muito pouco ruído de fundo proveniente do espaço.

Buscadora – pequeno telescópio ou visor para ajudar a apontar um telescópio maior para um alvo.

C

Cadeia próton-próton (cadeia p-p) – Sequência de reações nucleares que levam à fusão de núcleos de hidrogênio (prótons) para criar núcleos de hélio. O resultado do processo todo é a conversão de quatro prótons em um núcleo de hélio.

Caldeira – Depressão em forma de tigela criada pelo colapso de estrutura vulcânica numa câmera de magma esvaziada.

Campo Magnético – Região do espaço em torno de um corpo magnetizado, onde as forças magnéticas afetam o movimento de partículas eletricamente carregadas.

Caroço – A região central de uma estrela onde a energia é gerada por fusão nuclear.

Catadiópitrico – Tipo de telescópio refletor com uma lente fina colocada através de sua abertura que lhe dá um campo de visão amplo combinado com um comprimento focal curto.

Catálogo Messier – Lista de mais de 100 objetos do céu  profundo que poderiam ser erroneamente tomados por cometas, produzida pelo astrônomo francês Charles Messier (1730-1817).

Cauda (de um cometa) – Fluxo de gás ionizado e poeira que escapa da cabeça de um cometa (coma), quando le se aproxima ou começa a se afastar do Sol. A cauda de tipo I consiste de gás ionizado expelido da coma pelo vento solar. A cauda tipo II é formada por grãos de poeira varridos da coma pela presssão da luz solar.

CCD (Charge – Coupled Device) – Dispositivo de imagamento eletrônico formado por uma matriz com elementos fotossensíveis.

Centro de Massa – Ponto no interior de um sistema isolado de corpos em torno do que esses corpos parecem se movimentar. Se o sistema for formado por dois corpos  o centro de massa localiza-se na linha unindo os seus centros. Se ambos os corpos tiverem a mesma massa, o centro situa-se no ponto médio dos dois;se um dos corpos for mais massivo, o centro de massa estará mais próximo dele.

Cefeida – ver estrela variável cefeida.

Ceres – O maior asteróide conhecido e o primeiro a ser descoberto.

Chandrasekhar, limite – Ver limite de Chandrasekhar

Charge-compled device (CCD) – Detector eletrônico sensível à luz usado para registrar imagens e espectros em vez de filme. CCDs consistem em milhões de minúsculos elementos de imagem conhecidos com pixels.

Chuva de meteoro – Frequentes meteoros que se originam de um ponto comum do céu.

Ciclo Solar – Variação cíclica da atividade solar (por exemplo, o aparecimento de manchas e explosões solares solares), que atinge um máximo a um intervalo médio de 11 anos. Como a polaridade das regiões magnéticas do Sol se reverte nesse período o ciclo completo tem na realidade 22 anos.

As manchas solares revelam o ciclo solar e a rotação do Sol.

Gráfico efetuado pela NASA

Cinturão de Kuipier (Edgeworth -Kuipier) – Região coalhada repleta de asteróides congelados além da órbita de Netuno.

Cinturão Principal – Ver asteróides.

Cinturões de Van Allen – Duas zonas concêntricas toroidais que contêm partículas carregadas (elétrons e prótons) aprisionadas pelo campo magnético terrestre. Foram descobertos em 1958 pelo cientista espacial norte-americano James Van Allen.

Circumpolar – Termo referente  a objetos celestes que giram em torno do pólo, sem nunca se pôr, tal como vistos de uma localização particular.

Coma – Nuvem de gás e poeira que envolve o núcleo de um cometa e inclui sua “cabeça” luminosa.

Cometa – Pequeno corpo composto de gelo e poeira. Quando distante do Sol, fica congelado e endurece. Mais perto do Sol, aquece-se e libera poeira e gás para formar uma grande cabeça fulgurante (a coma) e por vezes uma cauda.

O Cometa Halley

Imagem – NASA

Comprimento de onda – Distância entre duas cristas sucessivas de uma onda se propagando.

Comprimento focal – Distância entre o centro de uma lente ou a frente de um espelho côncavo e o ponto onde se forma a imagem nítida de um objeto distante.

Condrito – Meteoro rochoso com intensas incrustações esféricas, os côndrulos. Um condrito carbonáceo é um condrito rico em carbono e seus compostos e materiais voláteis.

Configuração (de um planeta) – Um particular arranjo geométrico entre  a Terra, um planeta e o Sol.

Confinamento – Instante brevemente antes da Grande Explosão quando quarks se ligaram para formar partículas como os prótons e os nêutrons.

Conjunção – Ocasião em que  dois corpos no Sistema Solar, como um planeta e o Sol, alinham-se tal como vistos da Terra.

Conjunção inferior – Ocasião em que Mercúrio ou Vênus estão entre o Sol e a Terra.

Conjunção superior – Ocasião em que Mercúrio ou Vênus, vistos da Terra, encontram-se  além do Sol, na mesma direção.

Constante Cosmológica – Termo extra nas equações cosmológicas de Einstein que, se tiver um valor positivo corresponde a uma força repulsiva universal capaz de provocar expansão acelerada do Universo. Cosmólogos modernos a associam com a energia do vácuo (energia residual que, de acorodo com a teoria quântica, existiria no vácuo), uma das possíveis formas da energia escura que se acredita permear o Cosmos. Ver também energia escura.

Constante de Hubble – Medida da taxa em que o Universo está se expandindo, encontrada marcando-se a distância das galáxias contra seus desvios para o vermelho.

Constelação – Originalmente um padrão estelar, mas hoje uma área do céu dentro de limites estabelecidos pela União Astronômica  Internacional. As constelações recebem nomes oficiais em latim e muitas delas representam personagens ou criaturas mitológicas.  Há 88 constelações.

Convecção – Transporte de calor  pelo movimento ascensional de elementos quente de gás ou de líquido.

Coriolis, efeito – Ver  Efeito Coriolis.

Coroa solar – A tênue camada mais externa  do Sol, vísivel somente quando ele está obscurecido num eclipse total. A coroa solar tem densidade muito baixa e temperatura extremamente elevada (1 a 5 milhões de graus Celsius).

Corpo Negro – Corpo idealizado que absorve e reemite toda radiação incidente sobre sua superfície, um irradiador  perfeito.

Córrego – Fenda curva ou depressão na superfície lunar causada pelo colapso de um túnel de lava solidificada.

Cosmologia – O estudo da origem, natureza, estrutura e evolução do Universo.

Cosmologia geocêntrica – Crença de que a Terra é o centro do universo.

Cosmologia heliocêntrica – Teoria da formação e evolução do sistema solar com o Sol no Centro.

Cratera – Depressão em forma de tigela na superfície de um planeta ou satélite, ou num cume vulcânico. Uma cratera de impacto é produzida pela queda de um meteorito, asteróide ou cometa, enquanto uma cratera vulcânica é a cavidade por onde o vulcão ejeta material.

Cratera de Impacto – Cratera na superfície de um planeta ou de uma lua produzida pelo impacto de um asteróide, meteorito ou cometa.

Cromosfera – Camada de gás acima da superfície visível do Sol, ou fotosfera. A cromosfera só pode ser vista quando a fotosfera, mais brilhante, está encoberta.

A Cromosfera

Cromosfera – Cortesia: SOHO / ESA / NASA

Crosta – Fina camada rochosa mais externa de um planeta ou de uma grande luz que, como a Terra, teve seu interior diferenciado em diversas camadas.

Cruz de Eisntein – Aparência de quatro imagens da mesma galáxia ou quasar devido ao fenômeno de lente gravitacional de uma galáxia interveniente.

Curva da velocidade radial – Gráfico que mostra a variação de velocidade radial com o tempo para uma estrela binária ou para uma estrela variável.

Curva de corpo negro – Curva obtida quando a intensidade de radiação de um corpo negro a uma determinada temperatura é colocada  em um gráfico em função do comprimento de onda (ou frequência)

Curva de luz – Gráfico que mostra as variações no brilho de uma estrela ou de outro objeto astronômico ao longo do tempo.

D

Debate Shapley-Curtis – Debate sem conclusão entre Harlow Shapley e Hebert Curtis em 1920 sobre se certas nebulosas estavam além da Via Láctea.

Declinação – Distância angular de um objeto  ao norte  ou ao sul do equador celeste, medida em graus. É o equivalente da latitude  na Terra. Uma estrela no equador celeste tem declinação zero graus  enquanto num dos pólos tem declinação noventa graus.

Deferente – Círculo fixo no universo com a Terra no centro ao longo do qual um círculo menor (epiciclo) se movimenta levando os planetas, o Sol ou a Lua.

Demônio de poeira – Vento giratório encontrado em áreas secas ou desérticas tanto na Terra quanto em Marte.

Densidade – Razão entre  a massa de um objeto e seu volume.

Densidade crítica – Ver universo plano.

Densidade média – Massa de objeto dividida por seu volume.

Densidade nuclear – Densidade da matéria em um núcleo de átomo aproximadamente 1017

quilogramas por metro cúbico ( kg/m3).

Deriva continental – Movimento gradual dos continentes sobre a superfície da Terra devido às placas tectônicas.

Desacoplamento – Época do universo primitivo em que os elétrons e íons se combinaram pela primeira vez para criar átomos estáveis; momento em que o domínio do universo passou da radiação eletromagnética para a matéria.

Deslocamentopara o azul – Deslocamento de todos os padrões espectrais na direção de comprimentos de onda mais curtos; o deslocamento Doppler da luz proveniente de uma fonte que se aproxima.

Deslocamento para o vermelho – Deslocamento para comprimentos de onda mais longos da luz de quasares e galáxias remotas; o deslocamento Doppler da luz proveniente de uma fonte que se afasta.

Deslocamento para o vermelho cosmológico – Aumento no comprimento de onda da luz de galáxias distantes e de quasares causado pela expansão do universo.

Deslocamento para o vermelho gravitacional – deslocamento para o vermelho do comprimento de onda de fótons que deixam um campo gravitacional de qualquer objeto massivo, tal como uma estrela ou buraco negro.

Diagrama Hertzsprung-Russel (H-R) – Diagrama onde  as estrelas são posicionadas de acordo com sua luminosidade e temperatura superficial. A luminosidade (ou magnitude absoluta) é colocada no eixo vertical e a temperatura superficial (ou tipo espectral), no eixo horizontal. Os astrofísicos usam o diagrama H-R para classificar as estrelas. Dependendo da posição no diagrama, uma estrela será, por exemplo, da sequência principal, gigante, ou anã branca.

Disco circunstelar – Nuvem de gás e poeira achatada, discoidal, que circunda uma estrela. Discos desse tipo são frequentemente associados a estrelas jovens ou recém-formadas.

Disco Protoplanetário – Disco achatado de gás e poeira circundando uma estrela recém-formada, onde a matéria pode estar se agregando para formar os precursores de planetas.

Desvio para o vermelho – Desvio nas linhas de um espectro em direção a comprimentos de onda mais longos causados pelo movimento do objeto emissor para mais longe de nós.

Dobsoniana – Forma simples de montagem altazimutal comumente usada para refletores newtonianos.

E

Eclipse – Passagem de um corpo celeste pela sombra lançada por outro. Um eclipse lunar ocorre quando a Lua passa pela sombra da Terra, enquanto um eclipse solar se dá quando uma porção da Terra penetra a sombra lançada pela Lua. Um eclipse lunar total ocorre quando toda a Lua mergulha no cone de sombra da Terra. Já um eclipse lunar parcial é observado quando uma porção do disco lunar penetra  na sombra projetada pela Terra. Durante um eclipse solar total, todo o disco do Sol é obstruído pelo disco da Lua, e num eclipse solar parcial, apenas parte do disco do Sol fica encoberto. Se a Lua passa diretamente entre a Terra e o Sol, e está no apogeu, ela parecerá menor que o Sol, e seu disco será circundado por um anel brilhante da fotosfera solar; esse tipo de evento é chamado de eclipse anular.

Eclíptica – A trajetória seguida pelo Sol na esfera celeste durante o ano, que se deve ao movimento orbital da Terra. Os planetas sempre parecem próximos da eclíptica porque suas órbitas estão  todas num plano similar ao da Terra.

Efeito Coriolis – Tendência de vento ou corrente de ser desviada de sua direção inicial devido à rotação de um planeta.

Efeito Doppler – Alteração do comprimento de onda de uma radiação produzida pelo movimento relativo entre fonte e observador.

Eixo – Linha imaginária que atravessa o centro de um objeto que gira ao seu redor. o eixo une os pólos.

Elongação – Ângulo entre um planeta e o Sol, ou entre um satélite e um planeta. Quando Mercúrio e Vênus estão em sua separação angular máxima em relação ao Sol, diz-se que estão em sua elongação máxima, tanto a leste do Sol (no céu vespertino) quanto a oeste dele (no céu matinal).

Equador celeste – Círculo imaginário na esfera celeste a meio caminho  entre os pólos celestes. Divide a esfera celeste em duas metades iguais, uma ao norte e a outra ao sul do equador.

Equinócio – Ocasião em que  o Sol está no equador celeste. Isso ocorre duas vezes por ano, em 20 de março (o equinócio de primavera ou vernal no hemisfério norte) e 22 ou 23 de setembro (o equinócio outonal no hemisfério norte). Num equinócio, o dia e a noite têm tamanhos aproximadamente iguais em toda a Terra.

Esfera celeste – Esfera imaginária  que circunda a Terra, sobre a qual os objetos celestes parecem pousados.

Estrela – Esfera de gás  que produz energia  em seu centro por reações nucleares.

Estrela binária – Par de estrelas ligadas  pela gravidade, orbitando em torno  de seu centro de massa comum.

Estrela de nêutrons – Estrela pequena e intensamente brilhante feita de partículas subatômicas conhecidas como nêutrons e, ao que se supõe , são criadas quando uma estrela grande morre numa supernova.

Estrela dupla – Par de estrelas  que parecem muito próximas quando vistas da Terra. Na maior parte dos casos, as estrelas são relacionadas, formando uma estrela binária. Em alguns casos, porém, estão a distâncias  diferentes da Terra e são chamadas dupla óptica.

Estrela de flare – Estrela anã vermelha, fraca e fria que apresenta aumentos de luminosidade  repentinos e transientes, produzidos por explosões  (“flares”) extremamente poderosas.

Estrela gigante – Estrela que se tornou  maior e mais brilhante no final de sua vida.Estrelas que têm cerca de dez vezes a massa do Sol tornam-se supergigantes.

Estrela múltipla – Sistema formado por duas ou mais estrelas ligadas gravitacionalmente.

Estrelas supergigantes – O maior e mais luminoso tipo de estrela. Estrelas pelo menos dez vezes maiores que o Sol crescem, tornando-se supergigantes, no final de suas vidas.

Estrela supergigante vermelha – Estrela extremamente  grande,  de luminosidade muito alta e baixa temperatura superficial. Esse tipo de estrelas localiza-se no canto superior direito do diagrama de Hertzprung-Russel.

Estrela T Tauri – Estrela jovem, envolta por gás e poeira, cujo brilho varia e mostra evidência de intenso vento estelar. Acredita-se que as estrelas. T Tauri estariam ainda na fase de contração rumo à sequência principal. Seu nome provém da primeira estrela deste tipo identificada.

Estrela variável – Qualquer estrela cujo brilho parece variar.

Estrela Wolf-Rayer – Estrela extremamente quente que ejeta gases a uma taxa excepcionalmente elevada. Está envolta por um envelope gasoso em expansão  e apresenta fortes linhas de emissão.

Excentricidade – Medida do quanto uma elipse se desvia  de um círculo perfeito. A excentricidade tem valores entre 0 e 1;  um círculo tem excentricidade 0 e as elipses mais alongadas se aproximam da excentricidade.

Explosão solar – Liberação violenta de grande quantidade de energia – na forma de radiação eletromagnética, partículas subatômicas e ondas de choque – de um local situado logo acima da superfície solar.

Forte Explosão Solar

Fonte NASA: Forte explosão Solar (12/06/2011)

Extragaláctico – Qualquer objeto fora de nossa própria galáxia.

F

Fácula – Região de brilho intensificado da superfície solar que pode ser vista na luz branca, em geral, na borda  do disco visível do Sol, onde o brilho de fundo é menor. As fáculas são regiões mais quentes que os arredores e estão associadas a regiões ativas do Sol.

Faixa de instabilidade – Região do diagrama de Hetzsprung-Russel ocupada pelas estrelas pulsantes.

Falha devido a ajuste – Súbito aumento no período de um pulsar.

Fase – Fração do disco de um planeta ou satélite iluminada pelo Sol, tal como vista da Terra.

Fase(da Lua) – Aparência da Lua em diferentes pontos de sua órbita quando vista da Terra.

Fases da Lua – Nomes dados para as formas aparente da Lua vistas da Terra.

Fenômenos de lente gravitacional – Distorção da aparência de um objeto por uma fonte de gravidade entre ele e o observador.

Fóton – Porção individual, ou quantum de energia eletromagnética, que pode ser considerada como uma partícula de luz. Quanto mais curto o comprimento de onda da radiação (e maior a frequência), maior a energia do fóton.

Fotosfera – A superfície visível do Sol ou de outra estrela.

Frequência – Número de cristas de uma onda propagando-se que passa por um determinado ponto por segundo. No caso da radiação eletromagnética (por exemplo, a luz), a frequência  é igual à velocidade da luz dividida pelo comprimento de onda.

Fusão nuclear – Processo pelo qual núcleos atômicos são fundidos uns aos outros durante colisões para formar núcleos mais pesados, com a liberação de grandes quantidades de energia. A luminosidade das estrelas é alimentada por reações de fusão nuclear no seu interior.

G

Galáxia – Massa de estrela mantida juntas pela gravidade. As galáxias são de dois tipos principais: espirais, que tem braços; e elípticas que não têm. Os diâmetros das galáxias situam-se entre cerca de mil anos-luz e centenas de milhares de anos -luz.

M82, a galáxia com vento supergaláctico (NASA)

Galáxia ativa – Galáxia que emite uma quantidade excepcional de energia numa ampla faixas de comprimento de onda, desde ondas de rádio até raios X. Um núcleo ativo de galáxia (AGN, na sigla em inglês) é a região compacta, extremamente luminosa, no centro  de uma galáxia ativa, que muitas vezes  apresenta variabilidade de brilho, o que , acredita-se  que seja alimentado pela acreção de matéria num buraco negro supermassivo.

Galáxia elíptica – Galáxia  que parece redonda ou elíptica ou elíptica e que, em geral,  contém pouco gás e poeira

Galáxia espiral – Galáxia que resulta de uma concentração  central esferoidal de estrelas (o bojo), circundada por um disco plano, composto por gás,  poeira e estrelas, no interior do que se projetam os braços espirais.

Galáxia espiral barrada – Tipo de galáxia espiral cujos braços emanam dos extremos  de uma estrutura em forma de barra passando pelo seu bojo.

Galáxia iregular – Galáxia que não apresenta  estrutura bem definida ou simetria.

Galáxia lenticular – Galáxia com forma de lente convexa. Exibe bojo central e um disco, mas sem braços espirais.

Galáxia starburst – Galáxia onde ocorre um surto vigoroso de formação estelar.

Galáxia Seyfert – Galáxia espiral com núcleo compacto extremamente brilhante, que em alguns casos exibe variações de brilho. Identificadas pelos astrônomo norte americano Carl Seyfert, em 1943, as galáxias Seyfert são uma das várias classes de núcleos ativos de galáxias.

Gama-ray burst (GRB) (surto de raios gama) – Surto repentino  de raios gama de uma galáxia distante. Os GRBs são os mais poderosos eventos  explosivos do Universo atual. Podem ser produzidos por colisões entre estrelas de nêutrons ou buracos negros, ou ainda por um tipo extremo de supernova, a hipernova.

Gegeschein – Mancha luminosa muito débil que algumas vezes pode ser vista numa noite limpa, sem Lua, na direção do céu exatamente oposta à do Sol. É produzida por luz solar refletida de volta à Terra por grãos  de poeira interplanetária, além da órbita da Terra. Geocêntrico(1) – Abordagem a partir da Terra. (2) Tendo a Terra como centro (de um sistema). Coordenadas geocêntricas são um sistema de medidas de posição (como ascenção reta e declinação) tratadas como como medidas desde o centro da Terra. Um satélite em torno da Terra segue órbita geocêntrica. Cosmologia geocêntrica é a antiga teoria segundo a qual o Sol, a Lua, os planetas e as estrelas giravam em torno de uma Terra central.

Gigante vermelha – Estrela que se torna maior e mais fria à medida que se aproxima do fim de sua vida.

Grande Círculo – Círculo na superfície de uma esfera cujo plano passa pelo seu centro, dividindo-se em dois hemisférios. Seu nome é devido ao fato de ser o maior círculo capaz de ser traçado na superfície de uma esfera.

Gravidade – Força trativa que age entre corpos materiais, partículas e fótos. De acordo com a teoria da gravitação desenvolvida porIsaac Newton (1642-1727), no século XVII (gravitação newtoniana), a força da gravidade entre dois corpos é proporcional ao produto de suas massas e inversamente proporcional ao quadrado da distãncia entre elas. Ver também Relatividade.

Grupo local – Aglomerados de cerca de 36 galáxias que inclui a nossa. A maior é a galáxia de Andrômeda, seguida pela Via Láctea.

H

Halo – Região aproximadamente esférica, circundando uma galáxia, que contém uma distribuição de aglomerados globulares, estrelas esparsas e algum gás. Um halo de matéria escura é uma distribuição de matéria escura em que uma galáxia está imersa.

Heliocêntrico – (1) Abordagem a partir do centro do Sol. (2) Tendo o Sol no seu centro (de um sistema). Coordenadas heliocêntricas especificam a posição de um objeto como se fosse visto do centro do Sol. Um corpo que se move em torno do Sol segue uma órbita heliocêntrica. Cosmologia heliocêntrica é um modelo de universo, como o proposto por Nicolau Copérnico (1473-1543) em 1543, em que os planetas orbitam um Sol central.

Heliosfera – Região do espaço em torno do Sol onde o vento solar e o campo magnético interplanetário são confinados pela pressão do meio interestelar. Sua fronteira é chamada heliopausa.

Horizontes de Eventos – Ver buraco negro.

I

Inclinação – Ângulo  de um plano em relação a outro. A inclinação de uma órbita planetária é o ângulo entre esse plano e o plano da eclíptica (o plano da órbita da Terra). A inclinação do equador de um planeta é o ângulo entre o plano do equador e o da órbita do planeta.

Inflação – Episódio repentino, de curta duração, de expansão acelerada que se acredia ter ocorrido nem estágio

muito primitivo da história do Universo (cerca de  10-35 segundos depois do Big Bang).

Íon – Partícula ou sistema de partículas com carga elétrica. Íons positivos são normalmente formadas quando um átomo perde um ou mais elétrons e íons negativos quando um átomo captura um ou mais elétrons.

Isótopo – Uma de duas ou mais formas de um particular elemento químico cujos núcleos atômicos contém o mesmo número de prótons, mas números diferentes de nêutrons. Hélio-3 e hélio-4, por exemplo, são isótopos do hélio.

K

Kepler, leis do movimento planetário – Ver leis de Kepler do movimento planetário.

Kuiper, cinturão de – Ver cinturão de Kuiper.

L

Lei de Hubble –  Relação entre os redshifts de galáxias distantes e suas distâncias, inplicando que a velocidade de recessão das galáxias é proporcional à sua distãncia. A constante de Hubble  – indicada pelo símbolo Ho – é a constante de proporcionalidade relacionando velocidade derecessão à distância.

Leis de Kepler do Movimento Planetário – Três leis, concebidas no começo do século 17, por Johannes Kepler, que descrevem o movimento orbital dos planetas em torno do Sol. A primeira lei afirma que  a órbita de cada planeta é uma elipse, com o Sol ocupando um dos focos; a segunda lei diz que a velocidade de um planeta é inversamente proporcional à distância ao Sol, a cada instante; e a terceira lei estabelece que o quadrado do período orbital do planeta é proporcional ao cubo do comprimento do semi-eixo maior da suaórbita elíptica.

Lente Gravitacional – Efeito produzido por um corpo massivo, ou uma distribuição de massa (como um aglomerado de galáxias), cujo campo gravitacional, atuando como lente, desvia a luz de um objeto de fundo mais distante.

Lua – Satélite natural de um planeta. Usa-se inicial maiuscúla quando se está se referindo à nossa própria Lua.

M

Magnitude – Escala para amedição do brilho de objetos  celestes. Os objetos mais brilhantes recebem números pequenos ou até negativos, ao passo que os pouco brilhantes têm números grandes.

Magnitude absoluta – Número que indica a verdadeira emissão de luz, ou luminosidade, de uma estrela. É a magnitude que a estrela teria se colocada a uma distância-padrão de 10 parsecs (32,6 anos-luz).

Magnitude aparente – O brilho de um objeto celeste tal como visto da Terra. Quanto mais distante está o objeto, menos brilhante parece.

Mancha solar – Trecho mais frio na superfície do Sol que parece mais escuro em constraste com os arredores.

Mar – Qualquer das áreas escuras de planície na Lua.

Meridiano – Linha imaginária no céu que vai do norte para o sul através dos pólos celestes e do zênite do observador. Um objeto no meridiano está em seu ponto mais alto acima do horizonte.

Meteorito – Naco de rocha  ou metal proveniente do espaço que cai na superfície da Terra ou de outro corpo do Sistema Solar.

Meteoro – Risca de luz, também chamada estrela cadente, causada por um grão de poeira queimando-se na atmosfera.

Os meteoros são detritos do cometa Swiftt-Tuttle (Foto: Stephen Guisard / ESO

Montagem altazimutal – Forma simples de montagem em que o telescópio pode girar livremente  ao redor de eixos para cima e para baixo (em altura) e de um lado para o outro (em azimute).

Montagem equatorial – Tipo de montagem de telescópio em que um eixo, chamado o eixo polar, é alinhado em paralelo ao eixo da Terra. Girando esse eixo, pode-se manter o telescópio apontado para um objeto celeste à medida  que a Terra gira ao redor de seu eixo.

Movimento próprio –  Movimento de uma estrela relativamente em comparação ao Sol. Em decorrência dos movimentos próprios das estrelas, as formas das constelações mudam ao longo de centenas de milhares de anos.

Movimento retrógrado – Movimento de leste para oeste, oposto à direção normal do movimento do Sistema Solar.

N

Nebulosa – Nuvem de gás e poeira, geralmente encontrada nos braços espirais de uma galáxia. Algumas  nebulosas são brilhantes, sendo iluminadas  por estrelas, em seu interior, ao passo que outras são escuras.

Nebulosa difusa – Nuvem brilhante de gás, iluminada por estrelas em seu interior. A nebulosa de Órion é um exemplo famoso.

Nebulosa planetária – Envoltório de gás emitido por uma estrela no final de sua vida.

New General Catalogue (NGC) – Listagem de quase 8 mil objetos do céu profundo compilado pelo astrônomo dinamarquês J.L.E.Dreyer (1852-1926).

Newtoniano – Projeto de telescópio refletor em que a ocular está posicionada no lado do tubo do telescópio.

Nova – Estrela que entra em erupção temporariamente, tornando-se milhares de vezes mais brilhante durante algumas semanas ou alguns meses.

Nuvem de Oort – Grande quantidade de cometas em torno do Sistema Solar, estendendo-se a meio caminho até a estrela mais próxima.

Nuvens de Magalhães – Duas pequenas galáxias que acompanham a nossa, a Via Láctea.

O

Objeto do céu profundo – Objeto fora do Sistema Solar, como um aglomerado de estrelas, uma nebulosa ou uma galáxia.

Ocular – Lente (ou , na prática, uma combinação de duas ou mais lentes) usada para ampliar a imagem produzida por um telescópio.

Ocultação – Evento em que um corpo celeste passa em frente a outro ; em geral quando a Lua passa em frente a uma estrela  ou planeta.

Oposição – Ocasião em que um corpo do Sistema Solar  situa-se na direção oposta à do Sol, tal como visto da Terra.

P

Paralaxe – Mudança de posição de um objeto quando visto  de duas localizações diferentes. A medida que a Terra gira em torno do Sol, estrelas próximas mostram uma ligeira paralaxe  a partir  da qual suas distâncias podem ser calculadas.

Parsec – Unidade de distância  usada pelos astrônomos. É a distância em que uma estrela  teria uma paralaxe anual de um segundo de arco.Um parsec é igual a 30,9 trilhões de km ou 3,216 anos-luz.

Periélio – Ponto na órbita de um objeto em que ele está mais próximo do Sol.

Planeta – Corpo que orbita o Sol ou outra estrela e reluz por rfletir o brilho da estrela.

Planeta anão – Corpo celeste no Sistema Solar que orbita o Sol e é grande o bastante  para ser esférico, mas diferentemente dos planetas, não limpou a região em torno  de sua órbita de outros corpos.

Planeta extra-solar – Planeta que gira em torno de uma outra estrela quenão o Sol.

Precessão – Lenta oscilação da Terra no espaço, que leva seu eixo a descrever um círculo na esfera celeste a cada 25.800 anos. Em consequência da precessão, as coordenadas das estrelas mudam continuamente.

Pulsar – Estrela de nêutrons que emite pulsos de ondas de rádio e outras radiações à medida que gira em torno de seu eixo.

Q

Quasar – Núcleo intensamente luminoso de uma galáxia distante, causado ao que se supõe por gás ultraquente circulando em torno de um grande  buraco negro em seu centro.

R

Radiante – Ponto no céu a partir do qual os membros de uma chuva de meteoros parecem divergir.

Resolução – Capacidade de um instrumento óptico de distinguir detalhes finos, como as estrelas individuais numa estrela dupla próxima ou marcas nos planetas.

S

Satélite – Qualquer corpo que gire em torno de outro, em geral uma lua de um planeta.

Schmidt-Cassegrain – Projeto de telescópio que incorpora  uma fina  lente corretora através da frente  do tubo telescópico para aumentar  o campo de visão. A ocular está num furo no centro do espelho principal.

Seeing – Termo usado para descrever a estabilidade da atmosfera, que afeta a qualidade da imagem. Bom seeing significa que o ar está estável e é possível distinguir detalhes finos.

Sequência Principal – Estágio na vida de uma estrela em que ela cria energia  convertendo hidrogênio em hélio por meio de reações nucleares em seu centro.

Sistema Solar – A família de planetas, seus satélites e objetos como asteróides e cometas que orbitam o Sol.

Soltíscio – A ocasião  em que o Sol chega ao ponto mais ao norte ou mais ao sul do equador celeste (por volta de 21 de junho no hemisfério norte celeste  e de 22 dezembro no hemisfério sul celeste).

Supernova – Estrela que explodeno fim de sua vida , tornando-se milhões  de vezes mais brilhantes durante algumas  semanas ou alguns meses.

Imagem captada pelo Hubble retrata massa de gás e poeira deixada por uma supernova.

Massa de gás e poeira deixada por uma supernova

T

Tabela periódica – Lista dos elementos químicos de acordo com suas propriedades e criada por Dmitri Ivanovich Mendeleiev.

Telescópio – Instrumento para observar objetos distantes.

Telescópio Cassegrain – Tipo de telescópio reflete em que  um espelho secundário reflete a luz de volta através de um furo no centro do espelho principal onde estão colocados a ocular e outros detectores.

Telescópio refletor – Telescópio no qual o principal componente para captação de luz é um espelho côncavo.

Telescópio refrator – Telescópio no qual o principal componente para captação de luz é uma lente.

Temperatura  (Celsius) – Medida de temperatura em uma escala na qual a água congela a zero graus e ferve a cem graus.

Temperatura (Fahrenheit) – Medida de temperatura em uma escala na qual a água congela a 32 graus e ferve a 212 graus.

Temperatura (Kelvin) – Medida da temperatura absoluta em intervalos de graus Celsius. S água congela a 273 K e ferve a 373 K.

Teoria científica (hipótese) – Idéia geral sobre o mundo natural que está sujeita a verificação e refinamento.

Teoria da captura – Idéia de que a Lua foi criada em uma localização diferente do sistema solar e subsequentemente capturada pela gravidade da Terra.

Teoria da cocriação – Teoria que supõe que a Lua se formou simultâneamente com a Terra e em órbita dela.

Teoria da colisão-ejeção – Teoria que supõe que a Lua foi criada por um impacto de um objeto de tamanho planetário com a Terra; atualmente considerada a teoria mais plausível para a formação da Lua.

Teoria da fissão – Teoria que supõe que a Lua se formou de matéria lançada da Terra porque o planeta estava girando extremamente rápido.

Teoria da grande unificação (GUT) – Teoria que descreve e explica as quatro forças físicas.

Tempo Universal (TU) – Escala de tempo baseada no movimento diário aparente do Sol tal como visto do meridiano de Greenwich. É o mesmo que Greenwich. É o mesmo que Greenwich Mean Time (GMT).

U

Último quarto da Lua – Fase da decrescente quando observadores localizados na Terra enxergam a metade da parte iluminada da Lua. 

Umbra – Parte central completamente escura da sombra.

Unidade Astronômica – A distância  média  entre a Terra e o Sol, 149.597.870 km.

Universo – Tudo que existe, incluindo toda a matéria, espaço e o tempo. Pensa-se que o Universo começou num big-bang cerca de 13,7 bilhões de anos atrás.

Universo aberto – Universo com uma forma hiberbólica; falta a massa necessária para que algum dia o universo pare de se expandir e volte a colapsar. Ele se expandirá para sempre.

Universo dominado pela matéria – Um universo no qual o campo de radiação que preenchia todo o espaço é incapaz de impedir a existência de átomos nêutrons.

Universo dominado pela radiaçao – Época no começo da vida do universo em que a radiação eletromagnética impedia a combinação dos íons e elétrons para formar átomos neutros.

Universo em expansão – Movimento de afastamento de cada superaglomerado de galáxias de todos os outros.

Universo fechado – Um universo que contém bastante matéria para que ele entre em colapso. É finito em extensão e não tem “lado de fora”.

Universo observável – Todo o espaço que se encontra mais próximo de nós do que a distância percorrida pela luz desde o momento da Grande Explosão.

Unverso plano – Universo em que a curvatura do espaço é zero.

V

Variável cefeida – Tipo de estrela variável cujo brilho muda regularmente a intervalos de dias  ou semanas à medida que ela pulsa em tamanho.

Variável Mira – Estrela vermelha gigante ou supergigante cujo brilho varia ao longo de um período de meses ou anos em decorrência da pulsação em seu tamanho.

Vastidão boreal (terras baixas do norte) – Terreno  no Hemisfério norte de Marte relativamente jovem e cheio de crateras.

Vazio – Enorme região  do universo quase esférica onde excepcionalmente poucas galáxias são encontradas.

Vento Solar – Fluxo de partículas em sua maior parte prótons e elétrons, que provém  do Sol e atravessa o Sistema Solar.

Vela padrão – Objeto cuja luminosidade, por ser conhecida, pode ser usada para deduzir a distância de uma galáxia.

Velocidade (speed) – Taxa na qual um objeto se movimenta.

Velocidade (velocity) – Grandeza física que especifica tanto a direção quanto a rapidez de um objeto.

Velocidade radial – Parte da velocidade de um objeto paralela à linha de visada.

Velocidade transversa – Porção da velocidade de um objeto perpendicular à nossa linha de visada.

Vento solar – Fluxo de partículas (principalmente elétrons e prótons) para fora do Sol.

Via Láctea – A faixa de luz de brilho débil e enevoada que pode ser vista cruzando o céu nas noites escuras , composta de estrelas  distantes dentro de nossa própria galáxia. O nome é usado também para nossa galáxia como um todo.

Vulcanismo de ponto quente – Criação de vulcões na superfície de um planeta causada pelo reservatório de magma quente no manto do planeta sob uma fina parte da crosta.

Z

Zênite – O ponto no céu exatamente acima do observador.

Zodíaco – Faixa de céu de ambos os lados da eclíptica através da qual o Sol e os planetas se movem.

Zona convectiva – Camada de uma estrela  onde a energia é transportada para fora por meio de convecção; também denominada como envelope convectivo ou zona de convecção.

Zona de transição – Região entre a cromosfera e a coroa do Sol onde a temperatura dispara para aproximadamente 1 milhão de graus Kelvin.

Zona habitável – Região em torno de qualquer estrela onde a água possa existir em estado líquido e, assim, a vida conhecemos possa ser concebível.

Zona radioativa – Região dentro de uma estrela onde a energia é transportada para fora pelo movimento de fótons através do gás de um local quente para outro local mais frio.

Zonas (em Júpiter) – Faixas levemente coloridas na cobertura de nuvens de Júpiter.

%d blogueiros gostam disto: