About


Base de Lançamento em Alcântara, MA. Fonte: INPE

Esse blog temático foi criado como parte da iniciativa do Portal do Professor de disponibilizar conteúdos digitais de qualidade para fortalecer a educação básica, por meio de sites temáticos. Aqui, o professor encontra diversos materiais para enriquecer suas aulas por meio da Astronomia, da Astronáutica e das Ciências Espaciais. Para isso, contamos com uma equipe de especialistas responsáveis por pesquisar, elaborar e disponibilizar para você diversos materiais e conteúdos selecionados nessa temática. Além do blog, temos um fórum chamado “Space Forum”, onde você pode interagir com nossa equipe e postar suas próprias contribuições. Temos ainda uma plataforma da NASA traduzida, denominada Estação de Clima Espacial. Bem-vindo a bordo do blog Astronomia, Astronáutica e Ciências Espaciais na Escola, um site de outro mundo para tornar suas aulas ainda mais dinâmicas e criativas!

A Astronomia, a Astronáutica e as Ciências Espaciais servem como portas de entrada para um vasto universo de conhecimentos de diversas áreas, tais como Física, Química, Matemática, Geografia, História, e muito mais. De fato, qual foi a criança que nunca sonhou em se tornar astronauta e olhar do espaço a Terra, contemplando também as estrelas, mais de perto? E qual foi o jovem que nunca se deleitou em observar a Lua em uma noite sem nuvens, sob um céu estrelado? A Lua também sempre serviu de inspiração para poetas e apaixonados de todas as épocas! Note-se ainda que o ser humano possui um forte desejo de exploração. Por esse motivo, ocorreram as explorações dos mares que resultaram no desbravamento de novos continentes. Há ainda os que têm curiosidade em saber se existe alguma forma de vida inteligente além da que conhecemos na Terra! As ciencias do espaco servem para despertar no jovem esse desejo de explorar, descobrir e aprender coisas novas.

Sem dúvida, a temática espacial é capaz de despertar o interesse dos alunos por um vasto universo de conhecimentos científicos e tecnológicos. O professor pode lançar mão desse fascínio que os assuntos espaciais exercem sobre os alunos para que eles aprendam de forma prazeirosa diversos conteúdos em Física, Química e Matemática, por exemplo. As ciencias do espaco possuem um carater integrador. Em outras palavras, elas apresentam problemas que demandam várias disciplinas para sua resolução. Além disso, os alunos são capazes de visualizar mais facilmente os conceitos e princípios envolvidos. Em 2009, o Brasil e o mundo comemoraram o Ano Internacional da Astronomia. Houve atividades voltadas a públicos de todas as idades, com as mais diversas abordagens. Veja abaixo o símbolo daquele Ano.

A Astronomia é a ciência do estudo do céu, enquanto que a Astronáutica é a ciência e prática de sua exploração. Sabemos muito sobre o Universo graças ao esforço de astrônomos que, desde tempos antigos, mapearam o céu, estudado cometas, eclipses solares e lunares, o movimento dos planetas na eclíptica, as estações do ano, as luas de Júpiter, dentre outros.

No que se refere à exploração tripulada do espaço, o ser humano já visitou a Lua e o próximo passo deve ser o planeta Marte. Nesse intervalo de tempo entre uma coisa e outra, talvez a principal realização tenha sido a construção coletiva da Estação Espacial Internacional, por diversos países. As missões para a Estação tem sido realizadas pelos ônibus espaciais, veículos com capacidade para até sete astronautas, que são lançados como foguetes e que pousam como aviões, em outras palavras, são reutilizáveis. As últimas missões do ônibus espacial da NASA devem ocorrem em 2011, ano previso para a “aposentadoria” daquelas naves. Veja abaixo uma imagem do ônibus espacial.

Hoje, muito do estudo do céu é realizado por telescópios colocados na órbita da Terra, tal como o Telescópio Espacial Hubble, que revolucionou a Astronomia por meio de suas fantásticas imagens do Universo. Veja, por exemplo, essa fantástica imagem obtida por ocasião nos 20 anos do Hubble, em 2010.

Mais informações

Tecnologias se encontram inseridas na educação, como recursos que contribuem para melhorar a qualidade da educação e tornar a sala de aula mais atrativa e dinâmica. Tecnologias da informação como computadores, laptops, internet, projetores multimídia; e tecnologias educacionais como softwares educativos, laboratórios virtuais, Web 2.0, dentre outras, se encontram presentes em muitas salas de aula. Entretanto, por  vezes ainda se faz um uso meramente instrumental da tecnologia. Introduzir tecnologias educacionais no ambiente escolar não consiste em apenas considerá-las como simples material de apoio, mas, sobretudo, como um componente essencial a um processo educativo de qualidade, que deve estar em sintonia com os preceitos destacados na Constituição Federal e na Lei de Diretrizes e Bases na Educação Nacional – LDBEN. Com efeito, a utilização de tecnologias educacionais somente faz sentido no escopo de um projeto pedagógico comprometido com um processo de formação humana significativa e em sintonia com um projeto de sociedade que tenha como objetivo formar alunos para serem produtores de conhecimento e agentes de transformações positivas na sociedade.

A Secretaria de Educação Básica – SEB/MEC, tem um compromisso com o fortalecimento da educação no nível básico, mediante um conjunto sinérgico de políticas, programas e projetos que passam pela disponibilização de recursos digitais aos professores. Dentre esses esforços, destacamos o Portal do Professor (http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html), o Banco Internacional de Objetos Educacionais (http://objetoseducacionais2.mec.gov.br/), e o Portal Domínio Público (http://www.dominiopublico.gov.br/). Esses bancos de dados se encontram interligados e oferecem a professores e estudantes recursos digitais de altíssima qualidade e em diversos idiomas, que contribuem para enriquecer o processo ensino-aprendizagem em todas as disciplinas de todos os níveis e modalidades da educação. O Portal do Professor se destina ao professor de educação básica. Nele, o usuário pode elaborar e publicar suas próprias aulas, bem como acessar aulas de outros professores. Dentre outros recursos disponíveis no Portal, podemos mencionar experimentos, visualizações, animações, fóruns, cursos virtuais, jornal do professor, vídeos, áudios, links para portais educacionais, bibliotecas virtuais, dentre uma vasta gama de recursos acessados diariamente por milhares de professores no Brasil e no mundo.

Considerando o caráter integrador da Astronomia, da Astronáutica e das Ciências Espaciais, esse blog apresenta conteúdos e recursos relacionados a essas áreas do conhecimento. Essas ciências podem ser consideradas portas de entrada para o ensino de disciplinas científico-tecnológicas e mesmo de outras áreas, tais como história e geografia. Com efeito, elas ajudam a contextualizar uma série de conteúdos que, abordados de forma compartimentalizada no escopo das disciplinas escolares, podem parecer muito abstratas, o que dificulta a aprendizagem nessas áreas.

Está previsto o ensino de conteúdos em Astronomia na educação básica. Os Parâmetros Curriculares Nacionais para a área de Ciências, Matemática e suas Tecnologias do Ensino Médio, por exemplo, preveem o ensino de Astronomia, de forma integrada ao ensino das disciplinas científicas tradicionais: “Assuntos relacionados a outras Ciências, como Geologia e Astronomia, serão tratados em Biologia, Física e Química, no contexto interdisciplinar que preside o ensino de cada disciplina e o do seu conjunto (Parâmetros Curriculares Nacionais-Ensino Médio, Parte III – Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias, p. 5. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/ciencian.pdf).” De acordo com as Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Ciências, Matemática e suas tecnologias, “o estudo da gravitação é uma excelente oportunidade para discutir temas da astronomia em seus aspectos físicos, históricos e filosóficos (MEC, Secretaria de Educação Básica. Orientações Curriculares para o Ensino Médio – Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias, v. 2. Brasília: MEC, Secretaria de Educação Básica, 2006, p. 56. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf ).”

Além disso, o ensino de Astronomia está previsto nos Parâmetros Curriculares Nacionais para a área de Ciências Humanas e suas Tecnologias no Ensino Médio, de forma integrada ao ensino de história, quando, por exemplo, aborda-se o conceito de tempo histórico: “O tempo histórico pode ser compreendido em toda sua complexidade, ultrapassando sua apreensão a partir das vivências pessoais, psicológicas ou fisiológicas. No nível médio de ensino, é preciso igualmente que o tempo histórico seja entendido como objeto da cultura, como criação de povos em diversos momentos e espaços. É da cultura que nascem concepções de tempo tão diferenciadas como o tempo mítico, escatológico, cíclico, cronológico, noções sociais criadas pelo homem para representar as temporalidades naturais, expressas nos tempos geológico e astronômico. Não se pode esquecer, ainda, que mesmo o tempo natural reveste-se de um caráter cultural, quando apropriado pela Geologia e pela Astronomia, enquanto ciências socialmente criadas (Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio), Parte IV – Ciências Humanas e suas Tecnologias, p. 23. Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/cienciah.pdf).

Com base nesses pressupostos, o Portal do Professor oferece uma vasta gama de recursos digitais na área de Astronomia. A par disso, o Ministério da Educação publicou, em parceria com a Agência Espacial Brasileira, publicou os volumes Astronomia, Astronáutica e Mudanças Climáticas, da Coleção Explorando o Ensino. Foram distribuídos 76 mil exemplares desses volumes, a escolas públicas brasileiras de ensino fundamental e médio. Esses volumes, que contêm explicações teóricas e diversos experimentos, estão também disponíveis na íntegra no Portal do Professor.

Coleção Explorando o Ensino MEC – Astronomia

Coleção Explorando o Ensino MEC – Astronáutica

Coleção Explorando o Ensino MEC – Mudanças Climáticas

A Coleção Explorando o Ensino, tem por objetivo apoiar o trabalho dos professores em sala de aula. Para isso, foram enviados a todas as escolas de ensino fundamental e médio, volumes relacionados a disciplinas e temas diversos, tais como Física, Matemática, Biologia, Antártida, Mudanças Climáticas, Astronomia e Astronáutica. A proposta da coleção é oferecer aos educadores um material científico-pedagógico que permita aprofundar os conteúdos das áreas de conhecimento e disciplinas dessa etapa da educação básica. As obras devem ser incorporadas ao acervo bibliográfico da escola. As atividades propostas são ricas e estimulam o uso da experimentação.

Em 2009, a antiga Secretaria de Educação a Distância – SEED/MEC, disponibilizou no Portal do Professor um link para a Estação de Clima Espacial – Projeto SWAC Brasil, site traduzido e adaptado do programa educacional da NASA, denominado “Space Weather Action Center – SWAC Program,” coordenado pela equipe Terra-Sol do Centro de Voo Espacial NASA Goddard, nos Estados Unidos. A finalidade principal da ação foi disponibilizar tecnologias educacionais para o Portal do Professor e aumentar o acervo de recursos digitais dos programas do MEC, a partir da inclusão de materiais educativos da NASA, além de fortalecer o ensino de Astronomia. A Estação de Clima Espacial – Projeto SWAC Brasil apresenta atividades educativas e recursos digitais localizados de elevada qualidade para utilização nacional. Esse trabalho foi executada por especialistas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, atuando em regime de cooperação com profissionais da NASA. Essa iniciativa pioneira do Ministério da Educação representa uma importante contribuição à educação nacional.

Além de disponibilizar recursos digitais por meio desse blog, temos um fórum denominado “Space Forum”, criado para dinamizar os assuntos aqui abordados. Naquele espaço, professores podem interagir com a equipe do projeto, esclarecer dúvidas e postar suas próprias contribuições.

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: