Ajude a desvendar os mistérios de Marte com a NASA!

A NASA criou um site em que qualquer cidadão pode oferecer contribuições no estudo de Marte. Para participar é muito simples: basta preencher um cadastro online e começar a trabalhar. O site se encontra em língua inglesa. Saiba mais: http://beamartian.jpl.nasa.gov/welcome

Explorando Marte com a NASA. Crédito: NASA

Dia 19/12, cerimônia de inauguração da exposição “Olhar o Céu, Medir a Terra”, no Museu de Astronomia e Ciências Afins

Planetário 3.0 – Um novo olhar sobre a sociedade e o planeta

A Fundação Planetário, no Rio de Janeiro/RJ, apresentou seu balanço de gestão anual, nesta segunda, 12 de dezembro, às 10h. Na ocasião, também foi lançado um novo conceito de Planetário 3.0. A iniciativa, que é inspirada no Marketing 3.0, está ligada ao desenvolvimento da sustentabilidade do planeta, aos valores humanitários e às causas sociais e alinha a instituição à Rio+20. Estas ações conjuntas visam criar e desenvolver o vínculo forte com o público.

Para comentar sobre a iniciativa de sustentabilidade, o economista, ambientalista e comentarista da Globo News e da CBN, Sérgio Besserman, esteve presente durante o evento. Além dele, estiveram na mesa, juntamente com o presidente da Fundação Planetário Celso Cunha, Norma Reis, técnica em assuntos educacionais do Ministério da Educação, Heloísa Moura, diretora de inovação social sustentável do Instituto Nacional de Empreendedorismo e Inovação (INEI), e José Alberto Sampaio Aranha, diretor do Instituto Gênesis da PUC-RJ.

A apresentação do balanço de gestão anual entrou na lista dos eventos realizados em 2011, que levaram a mais de 37 mil pessoas de todas as idades, educação, diversão, lazer e entretenimento. Entre as atividades realizadas em 2011, destacam-se as ações do Planetário Social que beneficiaram 3.345 pessoas e o projeto Biblioteca Viva, que alcançou 8.631 visitantes somente este ano.

Todas essas ações contribuíram para reduzir a dependência financeira do Planetário em relação ao Tesouro Municipal em 44,55%. Por conta dessas iniciativas, por sinal, a instituição recebeu mais de 1 milhão visitantes entre 2009 a 2011. Além disso, aumentou o atendimento a crianças com menos de seis anos em 90,05%, impulsionado pela modernização da Cúpula Galileu Galilei. Um projeto muito inovador consiste no Dormindo com as Estrelas, em que crianças têm a oportunidade de passar a noite no planetário envolvidos em diversas atividades e… também dormindo. Saiba mais clicando na imagem.

Projeto Dormindo com as Estrelas

As mudanças também aconteceram no ambiente virtual. Atualmente, nas redes sociais, o número de seguidores que estão conectados à instituição é de 6.903, fazendo com que a popularidade e difusão da Fundação nesses meios digitais aumentasse em 470%. Esses esforços demonstram o empenho da Fundação Planetário em difundir a Astronomia e as ciências afins entre pessoas de todas as idades em todo país.

Extraído e adaptado do site http://www.planetariodorio.com.br/

Jornada Espacial aproxima estudantes de cientistas

Cerca de 60 estudantes participaram, em novembro, da VII Jornada Espacial na  cidade de São José dos Campos, em São Paulo. Eles foram selecionados pelos  resultados obtidos na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica  (OBA). Acompanhados de seus respectivos professores, os jovens visitaram o  Pólo de Tecnologia Aeroespacial Brasileiro e conheceram um pouco mais sobre  a atuação de pesquisadores e técnicos da área.

Os alunos tiveram a oportunidade de conhecer as instalações do Departamento  de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Instituto Nacional de  Pesquisas Espaciais (INPE) e do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).  Também houve visitas às instalações da TV Vanguarda, onde aprenderam o  processo de transmissão de TV via satélite. Os cientistas mirins ainda tiveram acesso ao Laboratório de Integração e Testes (LIT) e ao Centro de  Visitantes, ambos no INPE, e puderam ver a Lua, Júpiter, Vênus e Mercúrio  pelo Observatório Astronômico do Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE).

Estudantes na Jornada Espacial

Além das visitas, o passeio científico contou com palestras sobre  astronomia, foguetes, satélites e suas aplicações. Os assuntos foram  debatidos por uma equipe de primeira: o astronauta brasileiro Marcos Pontes  e os especialistas do INPE, do IAE, do ITA e da Agência Espacial Brasileira  (AEB).

Durante o programa, os estudantes também participaram de oficinas científicas. Entre as atividades, houve aulas de interpretação de imagens de  satélites, construção e lançamento de foguetes feitos de garrafas pet,  elaborados pelos próprios alunos. No Memorial Aeroespacial Brasileiro (MAB),  puderam ver vários foguetes de sondagem nacionais e a maquete em tamanho  real do Veículo Lançador de Satélites (VLS-1). No último dia, quatro  participantes da Jornada Espacial foram selecionados e ganharam laptops,  bolsas de estudo de inglês por um ano e um serviço de consultoria para  auxiliá-los na escolha da profissão. A ação foi realizada em parceria com a Fundação Estudar.

Alunos na Agência Espacial Brasileira – AEB

Para quem deseja participar de eventos ligados às ciências espaciais, a Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) abrirá suas  inscrições a partir de janeiro. A prova acontecerá no dia 11 de maio de  2012. Os melhores classificados poderão integrar a equipe brasileira e  representar o país nas olimpíadas internacional e latino-americana, além de  participarem das Jornadas Espacial, de Energia e de Foguetes.

Organizada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica  Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB), em parceria com a  Furnas Centrais Elétricas, a OBA reuniu, esse ano, mais de 800 mil  estudantes do Brasil, distribuídos por cerca de 9 mil escolas, sendo  representada por aproximadamente 70 mil professores. O intuito da iniciativa  é disseminar a ciência espacial em todas as regiões do país.

Mais informações:

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA):
 <http://www.oba.org.br/> http://www.oba.org.br
Contato:  <mailto:oba.secretaria@gmail.com> oba.secretaria@gmail.com
h

Confira o episódio Galáxias, no ABC da Astronomia!

O conceito de Galáxia começou por definições filosóficas e hoje os observatórios contabilizam bilhões de imensos grupos de bilhões de estrelas, poeira, gás e formas pouco conhecidas de matéria. Dizem até que muitas delas têm nos seus núcleos super buracos negros.

Clique aqui, saiba mais e assista com exclusividade o episódio que vai ao ar quinta à noite na TV Escola!

Confira hoje o episódio Fases da Lua, do ABC da Astronomia!

É tudo um jogo de luz e sombra. O sistema Sol, Terra, Lua oferece belos espetáculos para nós, felizardos espectadores. Mas o que parece simples tem muitos detalhes que o programa esclarece.

Clique aqui, saiba mais e assista com exclusividade o episódio que vai ao ar quinta à noite na TV Escola!

Hoje, confira o episódio sobre Estrelas, do ABC da Astronomia!

Elas são gigantescas fornalhas em constante atividade, produzindo energia e todos os elementos que compõem a natureza que conhecemos inclusive nós mesmos. Talvez seja por isso que nos encantem tanto quando olhamos para seu brilho no céu noturno.

Clique aqui, saiba mais e assista com exclusividade o episódio que vai ao ar quinta à noite na TV Escola!

Confira hoje, aqui, o episódio Distâncias, do ABC da Astronomia da TV Escola!

Estamos falando de distâncias “astronômicas” e para isso precisamos de técnicas especiais de medida. Os ângulos e os efeitos que enganam nossos olhos e os que nos ajudam a criar métodos de medida no desafio de conhecer o universo.

Clique aqui, saiba mais e assista com exclusividade o episódio que vai ao ar hoje à noite!

Agência espacial brasileira firma acordos de cooperação com a Nasa

Charles Bolden, diretor da agência norte-americana, está no Brasil.
Assinatura ocorreu nas dependências do Inpe, em São José dos Campos.

As agências espaciais norte-americana (Nasa) e brasileira (AEB) firmaram nesta quinta-feira (27) dois acordos de cooperação para pesquisas sobre a camada de ozônio e o regime de chuvas no Terra. Os textos foram assinados nas dependências do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) pelo astronauta e diretor da Nasa Charles Bolden e Marco Antonio Raupp, diretor da AEB.

O primeiro acordo prevê a cooperação entre os dois países no projeto Medidas Globais de Precipitação (GPM, em inglês), uma iniciativa dos norte-americanos com a agência espacial japonesa (Jaxa) para estudos sobre chuvas no planeta Terra. Já o segundo projeto entre as agências espaciais tem como objetivo estudar a camada de ozônio que reveste a Terra.

Os dados coletados pelo programa GPM ajudarão a estimar mudanças no clima e na temperatura terrestre. O Brasil vai realizar a checagem das informações coletadas pelo conjunto de satélites do programa.

Além do desejo de poder produzir um satélite para integrar o programa GPM, o Inpe também sugeriu à Nasa o desenvolvimento do Observatório Global do Ecossistema Terrestre, um equipamento com tecnologia brasileira que poderia estudar a composição química do solo. Se aprovado, este instrumento seria produzido pelo Brasil e pelo Laboratório de Propulsão a Jato (JPL), da Nasa. A resposta para este pedido deverá sair no começo de 2012, segundo o diretor do Inpe, Gilberto Câmara.

Durante a visita ao Brasil, Bolden conheceu as instalações do Inpe. No começo da tarde, o astronauta conversa com crianças e adolescentes do Vale do Paraíba. Entre elas, um grupo de alunos de uma escola municipal de Ubatuba que está construindo um pequeno satélite que será lançado em breve.

Marco Antonio Raupp (à esquerda) e Charles Bolden, da Nasa, assinam os acordos. (Foto: Mário Barra / G1)

Mário Barra Do G1, em São José dos Campos

Estudantes lançam foguete em jornada científica!

Cerca de 150 estudantes do ensino médio de diversas regiões do país vão participar da III Jornada de Foguetes, entre os dias 31 de outubro e 02 de novembro, na cidade de Passa Quatro, em Minas Gerais. A iniciativa é da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) e contará com palestra do tecnólogo e presidente da Acrux Aerospace Technologies, Oswaldo Loureda, que falará sobre tecnologia de foguetes.

As equipes foram selecionadas a partir da V Olimpíada Brasileira de Foguetes (OBFOG), que contou com 15 mil alunos e professores. Além de material didático, os vencedores receberão um troféu em formato do VLS, projeto brasileiro de Veículo Lançador de Satélites.

Divididos em 30 grupos, os participantes da jornada terão de construir um foguete e lançá-lo o mais distante possível. Para tanto, utilizarão uma base de lançamento com um sistema de trava que permite liberá-lo com segurança. Mas, antes, precisarão passar pelo aval da Comissão de Segurança de Lançamento. O foguete será projetado numa área ampla de, pelo menos, 250 metros de extensão.

Para a execução da prova, o material é devidamente fixado na base, que deve ser presa ao chão com grampos. Numa inclinação de 45º, será apontado numa direção livre de pessoas, árvores altas, fios elétricos, móveis, estabelecimentos ou residências, mantendo todos afastados num diâmetro de 10 metros. Antes de lançar, o grupo deverá fazer uma contagem regressiva. Depois, o gatilho, que pode ser usado em forma de barbante, é puxado secamente. A partir desse momento, o foguete sai violentamente da base num movimento parabólico, atingindo cerca de 100 a 200 metros.

Para o combustível, usa-se a força de empuxo gerada a partir do gás produzido pela mistura química de vinagre e bicarbonato de sódio (fermento em pó). Os vencedores serão definidos a partir da combinação ideal entre o volume do material, a quantidade e o tamanho das aletas, o ângulo de lançamento, a direção do vento e o tamanho e peso do foguete.

O júri será composto pelos professores de todas as equipes presentes. A banca examinadora vai analisar os seguintes pontos: acabamento e originalidade do foguete; acabamento e originalidade da base; segurança e apresentação da equipe participante.

Ficou curioso para saber como elaborar um projeto como esse? Veja os vídeos com algumas dicas e participe da OBFOG e da Jornada de Foguetes:

Oficina de foguetes – parte 01:

Oficina de foguetes – parte 02:

Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA)

Site: http://www.oba.org.br

Confira aqui o episódio Cruzeiro do Sul, do ABC da Astronomia!

Ligar as estrelas e formar figuras é exercício de criação de todas as culturas. Mas o que é mesmo uma constelação? As estrelas do Cruzeiro do Sul têm alguma coisa em comum? Conheça algumas constelações dos indígenas brasileiros.

Clique aqui, saiba mais sobre o tema constelações e assista na íntegra, com exclusividade, o episódio que irá ao ar amanhã à noite na TV Escola!

Hoje, confira o tema Big Bang, no ABC da Astronomia!

Será que tudo começou numa grande explosão? O programa mostra que a coisa é muito mais complexa. O universo segue em expansão acelerada e o nosso jovem Sistema Solar nascido 9,5 bilhões de anos do começo de tudo, viaja nessa expansão com toda a nossa galáxia.

Clique aqui, saiba mais e assista na íntegra, com exclusividade, o episódio que irá ao ar hoje à noite na TV Escola!

Confira hoje o tema Ano-Luz, no ABC da Astronomia!

Uma unidade de tempo para medir distâncias astronômicas. As estratégias para calcular a velocidade da luz e as maneiras de encontrar distâncias entre os astros. Olhar para o céu é ver o que está no passado.

Clique aqui, saiba mais e assista na íntegra, com exclusividade, o episódio que irá ao ar hoje à noite na TV Escola!

Confira o tema Astronomia no site da Seara da Ciência!

A SEARA DA CIÊNCIA, abre um novo espaço no seu site, dedicado à Astronomia, trazendo informações como estações do ano, fases da Lua, o céu do mês e eclipses. Clique na imagem abaixo e confira a novidade!

Enigma da energia escura rende Prêmio Nobel

Descoberta de que o Universo está se expandindo em ritmo acelerado,graças a uma força contrária à gravidade, foi feita em 1998 por dois grupos independentes

O Prêmio Nobel em Física de 2011 acaba de ser anunciado pela Academia Real de Ciências da Suécia e vai para um trio de cientistas que abalou as fundações da cosmologia ao constatar que a expansão do Universo está se acelerando.

Metade do prêmio, no valor de 10 milhões de coroas suecas, ficou com Saul Perlmutter, do Laboratório Nacional Lawrence Berkeley e da Universidade da Califórnia em Berkeley, nos Estados Unidos, enquanto a outra metade foi dividida entre Brian Schmidt, da Universidade Nacional Australiana, e Adam Riess, da Universidade Johns Hopkins e do STScI (Instituto de Ciência do Telescópio Espacial), nos Estados Unidos.

A chave da descoberta foi o estudo de um tipo particular de supernova. Em tese, essas estrelas, denominadas Ia (“um-a”), explodem sempre com a mesma intensidade, o que faz com que seu brilho possa ser usado como uma referência relativamente segura para medir a distância e a velocidade de afastamento (baseada na distorção que a luz sofre ao partir de objetos em movimento na nossa direção, o chamado efeito Doppler).

O grupo de Perlmutter foi o primeiro dos dois a trabalhar com isso, em 1988. Em 1994, Schmidt e Riess se juntaram ao esforço. As equipes queriam usar as supernovas distantes como “faróis” no espaço, de forma a mapear o Universo. Mas o que eles descobriram, ao mesmo tempo, em 1998, foi muito mais assustador.

Os grupos encontraram cerca de 50 supernovas cuja luz era mais fraca do que deveria ser. Ao comparar a velocidade de afastamento delas com a de outras mais próximas, eles descobriram que a expansão do cosmos, iniciada com o Big Bang, está se acelerando.

Por tudo que se sabia até então, a expectativa era de que o ritmo de expansão estivesse sendo paulatinamente contido pela gravidade de todos os objetos do cosmos, atraindo-se uns aos outros e combatendo os efeitos do Big Bang. Contudo, ao que parece, há uma força desconhecida agindo contra a gravidade — e vencendo.

Aglomerado de galáxias Abell 1689, captado pelo Hubble, ajudou a desvendar segredos da energia escura. Crédito da imagem: NASA

Nasceu assim o misterioso conceito da energia escura. Sua natureza exata continua um enigma. Há quem defenda que se trata da própria energia contida no vácuo, potencializada pelo aumento de “vazio” entre as galáxias conforme a expansão cósmica foi avançando, mas a palavra final está longe de ser dada. E, como ela parece corresponder a cerca de três quartos de tudo que existe no Universo, fica a sensação de que ainda há muito trabalho a ser feito pelos físicos até que todos os mecanismos do cosmos estejam devidamente esclarecidos.

Assessoria de comunicação da SBF

Imperdível! Assista com exclusividade ao primeiro episódio da série ABC da Astronomia, da TV Escola!

Este é o episódio de abertura da série que fala das definições gerais da ciência, e principalmente da evolução histórica da Astronomia.

Desde os primeiros olhares do homem até a Astronomia Extragaláctica. Dos Zigurates mesopotâmicos, ao Hubble, um convite ao universo.

Clique aqui, saiba mais e assista na íntegra, com exclusividade, o episódio que irá ao ar amanhã na TV Escola!

Confira esse hotsite e faça um passeio pelo Universo!

O jornal Correio Braziliense lançou um hotsite que permite ao usuário explorar temas como sistema solar, relatividade, teoria do Big Bang, estrelas, cometas, planetas e muito mais. Ao clicar em uma estrela, por exemplo, o visitante parece estar “viajando” pelo espaço! O recurso é dividido por temas e, para voltar ao menu anterior, basta clicar na imagem de um astronauta. Compartilhe esse site com seus alunos para que eles aprendam mais sobre o Universo, de forma divertida! Clique na imagem para acessar o site.

Destaque TV Escola – Vem aí o ABC da Astronomia (Galáxias)

O conceito de Galáxia começou por definições filosóficas e hoje os observatórios contabilizam bilhões de imensos grupos de bilhões de estrelas, poeira, gás e formas pouco conhecidas de matéria. Dizem até que muitas delas têm nos seus núcleos super buracos negros. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!

Destaque TV Escola – Vem aí o ABC da Astronomia (Estrelas)

Elas são gigantescas fornalhas em constante atividade, produzindo energia e todos os elementos que compõem a natureza que conhecemos inclusive nós mesmos. Talvez seja por isso que nos encantem tanto quando olhamos para seu brilho no céu noturno. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!

Destaque TV Escola – Vem aí o ABC da Astronomia (Distâncias)

Estamos falando de distâncias “astronômicas” e para isso precisamos de técnicas especiais de medida. Os ângulos e os efeitos que enganam nossos olhos e os que nos ajudam a criar métodos de medida no desafio de conhecer o universo. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!

Hoje, confira o anúncio para o episódio Cruzeiro do Sul, do ABC da Astronomia da TV Escola!

Ligar as estrelas e formar figuras é exercício de criação de todas as culturas. Mas o que é mesmo uma constelação? As estrelas do Cruzeiro do Sul têm alguma coisa em comum? Conheça algumas constelações dos indígenas brasileiros. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!
 
 

Fique ligado – vem aí o ABC da Astronomia da TV Escola! Confira hoje, o tema Big Bang!

Será que tudo começou numa grande explosão? O programa mostra que a coisa é muito mais complexa. O universo segue em expansão acelerada e o nosso jovem Sistema Solar nascido 9,5 bilhões de anos do começo de tudo, viaja nessa expansão com toda a nossa galáxia. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!
 
 

Fique ligado – vem aí o ABC da Astronomia da TV Escola!

Uma unidade de tempo para medir distâncias astronômicas. As estratégias para calcular a velocidade da luz e as maneiras de encontrar distâncias entre os astros. Olhar para o céu é ver o que está no passado. Clique na imagem abaixo para assistir o vídeo!
 
 

One Response to

  1. Paulo Nunes says:

    Por que vemos dois cruzeiros do sul no ceu?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: